sábado, 21 de junho de 2008

Como testemunha: "O Carlton Vermelho"


Mas, olha só como é a vida...
Sentada na grama eu estava, estava a olhar o esmo numa tarde ensolarada de sábado.
De repente um homem, aparentando uns 40 anos, se aproxima.
Ele vem um um shorts jeans azul - já castigado pelo tempo -, camiseta branca, ostentando em uma das mãos um lata de Skol e na outra uma carteira de cigarro - Carlton.
Quem diria, era o Sr. Amarante que após alguns segundos, senta-se ao meu lado e inicia uma conversa sobre a tarde, sobre a vida.
Enquanto estamos ali juntos,
compartilhando a mesma visão,
o mesmo ócio,
compartilhando a harmonia entre a experiência de algumas décadas bem vividas com o impulso e instantaneidade de meus vinte e poucos anos,
compartilha-se também mais um aniversário.
O dia 21 de junho fecha os ciclos de 12 meses do Sr. Amarante.
A prosa de sábado continua, ainda sobre a vida e o futebol
E eu ainda me pego, em meio as palavras soltas, observando o protagonista-mor de meus vinte e poucos anos,
me pego observando os seus cabelos cacheados e castanhos,
seus olhos esverdeados
e penso no contraste que as duas personalidades sentadas sob o sol
expressam:
ele - força e certeza
eu - impulso e reparação.
De súbito desperto da trajetória subjetiva e entro fisicamente no enquadramento:
Amarantes e "Carlton Vermelho".

6 comentários:

Lih...Amarante disse...

Luiz Carlos C. Amarante....
simplesmente meu amor-maior.

Lih...Amarante disse...

Foto: bp3.blogger.com/.../XZSTxNJfsdw/s400/NAT_135.jpg

Rikardo disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Rikardo disse...

Parabéns pela iniciativa, esse texto eu achei o melhor...

Lin disse...

Lisi,

Você está simplesmente apavorando em seus testemunhos, hein? To adorando!!!

Beijos, Lin

Ana disse...

"ele - força e certeza
eu - impulso e reparação."


Ouço o que convém.
Eu gosto é do gasto.
(...)
Eu digo o que condiz.
Eu gosto é do estrago.

ehehe