terça-feira, 6 de abril de 2010

...


"Alguma coisa em mim- e pode chamar de “Amadurecimento”, ou

“Encaretamento”, ou até “Desilusão” , ou “Emburrecimento”,
simplesmente andou, entendeu?"
Caio Fernando Abreu

3 comentários:

Siguilita disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Cléber disse...

--- Espectro !? ---

-Escuro?
-Espectro!
-Defina.
-Deduza...

Preencha, pois, o poema com rimas ricas
Torne em decassílabos seus versos
Ou evoque Augusto dos Anjos, e misture com alguém da geração de trinta
Fazendo um verso bem longo, divagando devagar e vagamente sobre reentrâncias ou traquéias ou tantos tatiturnos vermes quanto tem o mar

Depois pegue o pote de farinha
- Mantenha os versos decassílabos! -
Chame temas não relacionados
Use um número incomum de versos
E rime a primeira com a última linha

Enfim, onde 'stá a maestria que procuro?
Pois não acho o que rime com 'espectro'!
Talvez isso de rimar não seja minha sina.
Então deixa pra lá. O importante é tentar...

Ptrucio Maciel disse...

Caio Fernando, simplesmente admirável. De uma simplicidade ùnica. Amei a frase que você citou no meu blog, a adicionei em meus "Irrestritos", espero que não se importe. Sinta-se a vontade sempre que quiser fazer citações. Agradecido.